quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Rockwell B-1

Rockwell B-1 Lancer



Rockwell B-1 Lancer é um bombardeiro estratégico norte-americano quadrimotor de geometria variável. Concebido na década de 1960 como um bombardeiro supersônico com carga e alcance suficientes para substituir o Boeing B-52 Stratofortress, evoluiu como um penetrador de baixa altitude e longo alcance, com capacidade de velocidade supersônica a grande altitudes.
O desenvolvimento do B-1 foi longo, dificultado pelas mudanças nas doutrinas de balanço estratégico entre as superpotências, variando entre respostas flexíveis e destruição mútua assegurada. A versão inicial B-1A foi desenvolvida no início da década de 1970, mas foi cancelada após a construção de apenas quatro protótipos. Com o surgimento da demanda por uma nova plataforma no início da década de 1980, a aeronave ressurgiu como versão B-1B, priorizando a missão de bombardeio por penetração a baixa altitude. O B-1B entrou em serviço em 1986 com o Comando Aéreo Estratégico da USAF, com a função de bombardeiro nuclear.
Na década de 1990 o B-1B foi convertido para bombardeiro com munição convencional, tendo seu primeiro uso em combate na Operação Desert Fox em 1998 e novamente durante a operação da OTAN no Kosovo, no seguinte. O B-1B tem participado em missões de combate em apoio às forças dos EUA e da OTAN no Afeganistão e Iraque. O Lancer é o componente supersônico da força de bombardeiros de longo alcance da USAF, ao lado dos subsônicos B-52 and Northrop Grumman B-2 Spirit. Com a retirada de serviço do General Dynamics/Grumman EF-111A Raven em 1998 do Grumman F-14 Tomcat em 2006, o B-1B é a única aeronave militar norte-americana de geometria variável que se encontra em serviço ativo. Há planos do B-1B permanecer em atividade até a década de 2020, quando será suplementado pelo projeto Next Generation Bomber.

Pesquisa: silveira
Fonte:      Fotos:            Vídeo:

<iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/0JRgl-rpNOo" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>

Tupolev


Tupolev Tu-160





Tupolev Tu-160 Beliy Lebed (ou White Swan , [1] russo : Туполев Ту-160 , NATO nome do relatório : Blackjack ) é um supersónico , variável-varredura asa pesada bombardeiro estratégico desenhado pelo Tupolev Design Bureau na União Soviética . É o maior e mais pesado Mach 2 + aeronaves supersônicas já construído e em segundo lugar apenas para o Valkyrie XB-70 comparável em comprimento total. É o avião de combate maior e mais pesado, o bombardeiro mais rápido atualmente em uso eo maior e mais pesado avião de asa de varredura variável alguma vez voado. Citação necessário ]
Entrando em serviço em 1987, o Tu-160 foi o último bombardeiro estratégico projetado para a União Soviética . A partir de 2016, a Força Aérea Russa , ramo de Aviação de longo alcance tem 16 aeronaves restantes, com menos aeronavegável e em serviço. A frota ativa Tu-160 vem passando por upgrades de sistemas eletrônicos desde o início dos anos 2000. O programa de modernização Tu-160M ​​começou com a primeira aeronave atualizada entregue em dezembro de 2014.






en.wikipedia.org       www.google.com.br



<iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/jVenzfXJEEY" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>

domingo, 1 de novembro de 2015

OH-58D Kiowa Warrior






                                              Kiowa Warrior











O OH-58 Kiowa é uma família de monomotor, único rotor, helicópteros militares utilizados para observação, utilidade e apoio direto fogo, fabricado pela Bell Helicopter, para o Exército dos Estados UnidosO OH-58 tem sido em uso contínuo pelo Exército dos EUA desde 1969.




O mais recente modelo, o Kiowa OH-58D, é operado principalmente em um papel reconhecimento armado em apoio de tropas terrestres. O OH-58D possui a característica mais marcante da família Kiowa - o mastro Mounted Sight (MMS), que se assemelha a uma bola de praia situado acima do sistema de rotor. Os MMS tem uma plataforma giroestabilizada contendo um sistema de televisão (TVS), um sistema de imagens térmicas (TIS), e uma Faixa de Laser localizador / designador (LRF / D). Esses novos recursos deu a aeronave a capacidade missão adicional de aquisição de alvos e designação de laser tanto durante o dia quanto à noite, e na limitação de visibilidade e condições climáticas adversas.



Provado em combate em todo o mundo, o OH-58D Kiowa oferece tudo o que sua missão exige em um helicóptero scout: dia e alvo noite aquisição de longo alcance, vários armamentos e quando a missão exige capacidades de combate a guerra verdadeiramente excepcionais, o Kiowa OH-58D está sempre pronta para atender a chamada.



Construído para ser na ponta da lança, o Kiowa OH-58D é um dos aviões mais robusto atualmente. Com seu sistema de filtragem de ar altamente eficaz e de seus componentes secos, o Guerreiro Kiowa pode operar em qualquer ambiente.



Com as taxas de disponibilidade da frota em mais de 85% das missões em ambientes mais inóspitos do mundo, não há dúvida de que o Kiowa OH-58D é apoiada por alguns dos melhores mantenedores no exército de hoje.

Fontes: www.scoutsout.com/ en.wikipedia.org Fotos: www.google.com   
Vídeo:  www.youtube.com


domingo, 25 de outubro de 2015

A-29 Super Tucano




                       Embraer EMB-314 Super Tucano









O Embraer EMB-314 Super Tucano é uma aeronave turboélice de ataque leve e treinamento avançado, que incorpora os últimos avanços em aviônicos e armamentos. Concebido para atender aos requisitos operacionais da Força Aérea Brasileira, para uma aeronave de ataque tático, capaz de operar na Amazônia brasileira e em proveito de treinador inicial para pilotos de caça.

Embraer começou a estudar uma nova aeronave turboélice, que atendesse ao interesse crescente de um mercado de treinadores de alto desempenho, no qual veio a culminar no modelo EMB-312H ou Tucano H, denominado assim por poder operar a baixa altura, caçando helicópteros.

Governo brasileiro, foi identificando a necessidade de uma aeronave de ataque, que iria compor o segmento aéreo, responsável pela interceptação de aeronaves ilícitas na região Amazônica e pelo patrulhamento de fronteiras.

Pelas características da região Amazônica, com alta incidência de chuvas, altas temperaturas e umidade elevada e de ameaça (baixa intensidade), foi definido pela Força Aérea Brasileira que a aeronave deveria ser um turboélice, de ataque, com grande autonomia e raio de ação, capaz de operar tanto de dia como a noite, em qualquer condição meteorológica, a partir de pistas curtas e desprovidas de infraestrutura, entre outras.

AFA - Pirassununga/SP

Não se pode falar do Super Tucano, sem  deixar mencionar a mundialmente famosa, "Esquadrilha da Fumaça", hoje, com a pintura tendo os tradicionais verde, azul e amarelo, cores ícones do Brasil. O A-29 Super Tucano, tem um design gráfico que permite uma visualização melhor tanto em terra como no ar.



A bandeira do Brasil foi pintada no leme do A-29 como se estivesse esvoaçando. Outra novidade é que a numeração, que identifica o piloto na esquadrilha, agora fica na lateral da fuselagem e não mais na cauda.

Fontes: http://www.defesaaereanaval.com.br/ pt.wikipedia.org    
Fotos: www.google.com.br Vídeo: www.youtube.com

domingo, 11 de outubro de 2015

Lockheed SR-71 Blackbird





                              

                                                     SR-71 Blackbird








A Lockheed SR-71 "Blackbird" é um um avião de longo alcance, o Mach 3, de reconhecimento estratégico avançado que ficou em serviço com a Força Aérea dos Estados Unidos de 1964 a 1998.

Blackbird - brinquedo

O SR-71 foi projetado para o vôo em mais de Mach 3, com uma tripulação de dois em cockpits em tandem, com o piloto no cockpit da frente e o Reconnaissance Diretor de Sistemas (RSO) monitorar os sistemas de vigilância e equipamentos de cabina do piloto traseiro.

O SR-71 foi projetado para minimizar a sua secção transversal de radares, foi a tentativa inicial de projeto e seu acabamento foi feito em um azul escuro, quase preto, para aumentar a emissão de calor interno e para agir como camuflagem contra o céu noturno. A cor escura levou a sinal de chamada da aeronave "Blackbird".



Sua fuselagem foi feita com ligas de titânio para suportar as altas temperaturas em torno de 200 a 300 graus celsius, causadas pelo atrito com o ar em virtude da alta velocidade alcançada.

Na altitude operacional, o SR-71 conseguia fazer a vigilância de uma superfície de 12.000 km² por hora, o que lhe permitia operar no Vietnã do Norte, na China, na União Soviética, em Cuba ou na Coreia do Norte sem entrar no espaço aéreo respectivo.

Durante missões de reconhecimento o SR-71 era operado em altas velocidades e altitudes. Se era detectado um lançamento do míssil terra-ar, a ação evasivo padrão era simplesmente acelerar e correr mais que o míssil.



Enquanto o SR-71 realizada contramedidas de radar para iludir os esforços de intercepção, sua maior proteção era sua alta velocidade e altitude de cruzeiro que tornava quase invulnerável às armas de seus inimigos. Simplesmente acelerando normalmente seria suficiente para escapar de um míssil terra-ar. Em velocidades sustentadas de Mach 3.2+, o avião foi mais rápido do que o interceptor da União Soviética, o Mikoyan-Gurevich MiG-25.  Durante sua vida útil, não SR-71 foi derrubado.



Fontes: www.milto.net/ pt.wikipedia.org   Fotos: www.google.com.br  Vídeo: www.youtube.com

domingo, 4 de outubro de 2015

Lockheed C-130 Hercules





                                                    C-130 Hercules









O Lockheed C-130 Hercules é um avião com quatro turbopropulsores cuja função principal é a de transporte aéreo em várias forças armadas em todo o mundo. Capaz de aterrar ou descolar em pistas pequenas ou improvisadas, foi concebido com o intuito de transporte de tropas e carga. Atualmente desempenha uma larga gama de papeis, incluindo transporte de pára-quedistas, reconhecimento climatérico, reabastecimento aéreo, combate aéreo a incêndios e evacuação médica. Existem mais de 40 modelos do Hercules utilizados em mais de 50 nações. Com mais de 50 anos de serviço, a família C-130 estabeleceu um sólido recorde de confiabilidade e durabilidade, participando em missões militares, civis e de ajuda humanitária.

Cockpit C 130


segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Avião Wega 180




                                        WEGA 180 aircraft










A Wega é a primeira fabricante de aeronaves instalada em Santa Catarina e o embrião de um pólo aeronáutico que está surgindo com o apoio do Sistema FIESC e do governo do Estado. Outra indústria, a Novaer Craft projeta instalar uma fábrica em Lages e um centro de engenharia na Grande Florianópolis.



Jocelito Carlos Wildner, conquistou o devido reconhecimento por anos de dedicação e investimento em um sonho. A sua maior criação, o Wega 180, um avião de primeira linha da empresa de aviação experimental Wega Aircraft, foi destaque na maior feira de aviação dos Estados Unidos, a Sun n'Fun.

O criador e sua criação

" Joselito só queria fazer um avião que fosse uma estrela. Vega é a estrela mais brilhante da constelação de Lira e uma das mais brilhantes do céu. Trocou o V pelo W para fazer uma homenagem a sua família: Wildner ."




O objetivo da Wega é fabricar kits de aeronaves leves usando técnicas e componentes de última geração, preenchendo assim uma lacuna no mercado brasileiro.



O Wega 180 aeronave asa baixa; cabine para no máximo dois ocupantes lado a lado; construção em composite; motor aeronáutico de 180hp; hélice de velocidade constante; trem de pouso retrátil; velocidade de 300 km/h; sistema de combustível com dois tanques de 110 litros; autonomia máxima de 6 horas e meia de voo; envergadura de 7,87m; comprimento da fuselagem de 6,474m; altura máxima de 2,299m; peso vazio de 450kg; carga útil de 300kg; peso máximo de decolagem de 750 kg.

Fontes: www2.fiescnet.com.br/ http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/
Fotos:  https://www.google.com.br/  Vídeo: https: www.youtube.com