sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Aeromoças dormem nos aviões?

                                 Aeromoças dormem nos aviões?







As aeromoças dormem durante vôos longos,...onde? Isso vale até mesmo para os outros funcionários da tripulação, já que ninguém é de ferro.

Mas, onde as aeromoças dormem nos aviões? Em que lugar do avião, as camas são grandes, espaçosas, macias, etc...

Na verdade, eles têm camas sim: alguns modelos de aviões, especialmente os voltados a viagens internacionais, contam com quartos secretos, sabia?

Claro, os quartos das aeromoças não ficam visíveis aos passageiros e  costumam ficar acima das poltronas da primeira classe.  Como as aeromoças têm pouco tempo para descansar e, normalmente, revesam o tempo de serviços com os colegas, esses quartos nos aviões costumam ser bastantes pequenos. Aliás, para sermos sinceros, os quartinhos das aeromoças são claustrofóbicos.

O acesso a eles, claro, é por uma escada, que também fica escondida. As aeromoças sobem os degraus por meio de uma portinhola, que pode ser confundida com qualquer outro armário do avião.

Bom, depois de se espremer entre os degraus da escadinha, você chega a um cômodo mais amplo, com até sete camas e sem nenhuma janela. Como se vê nas fotos, cada leito tem luzes de leitura, ganchos e espelhos. Isso, claro, sem contar os cobertores e travesseiros.



Mas, independente dos modelos de aviões, as camas das aeromoças não são muito largas. Elas têm, em média, 80 cm de largura e 1,80 m de comprimento. Cada uma das camas costuma ser separada por cortinas escuras e pesadas, para criar um ambiente mais escuro e sem ruídos, propício para o descanso, mesmo que rápido.





Fonte:  segredosdomundo.r7.com      Fotos: google.com.br     Vídeo: youtube.com


domingo, 1 de novembro de 2015

OH-58D Kiowa Warrior






                                              Kiowa Warrior











O OH-58 Kiowa é uma família de monomotor, único rotor, helicópteros militares utilizados para observação, utilidade e apoio direto fogo, fabricado pela Bell Helicopter, para o Exército dos Estados UnidosO OH-58 tem sido em uso contínuo pelo Exército dos EUA desde 1969.




O mais recente modelo, o Kiowa OH-58D, é operado principalmente em um papel reconhecimento armado em apoio de tropas terrestres. O OH-58D possui a característica mais marcante da família Kiowa - o mastro Mounted Sight (MMS), que se assemelha a uma bola de praia situado acima do sistema de rotor. Os MMS tem uma plataforma giroestabilizada contendo um sistema de televisão (TVS), um sistema de imagens térmicas (TIS), e uma Faixa de Laser localizador / designador (LRF / D). Esses novos recursos deu a aeronave a capacidade missão adicional de aquisição de alvos e designação de laser tanto durante o dia quanto à noite, e na limitação de visibilidade e condições climáticas adversas.



Provado em combate em todo o mundo, o OH-58D Kiowa oferece tudo o que sua missão exige em um helicóptero scout: dia e alvo noite aquisição de longo alcance, vários armamentos e quando a missão exige capacidades de combate a guerra verdadeiramente excepcionais, o Kiowa OH-58D está sempre pronta para atender a chamada.



Construído para ser na ponta da lança, o Kiowa OH-58D é um dos aviões mais robusto atualmente. Com seu sistema de filtragem de ar altamente eficaz e de seus componentes secos, o Guerreiro Kiowa pode operar em qualquer ambiente.



Com as taxas de disponibilidade da frota em mais de 85% das missões em ambientes mais inóspitos do mundo, não há dúvida de que o Kiowa OH-58D é apoiada por alguns dos melhores mantenedores no exército de hoje.

Fontes: www.scoutsout.com/ en.wikipedia.org Fotos: www.google.com   
Vídeo:  www.youtube.com


domingo, 25 de outubro de 2015

A-29 Super Tucano




                       Embraer EMB-314 Super Tucano









O Embraer EMB-314 Super Tucano é uma aeronave turboélice de ataque leve e treinamento avançado, que incorpora os últimos avanços em aviônicos e armamentos. Concebido para atender aos requisitos operacionais da Força Aérea Brasileira, para uma aeronave de ataque tático, capaz de operar na Amazônia brasileira e em proveito de treinador inicial para pilotos de caça.

Embraer começou a estudar uma nova aeronave turboélice, que atendesse ao interesse crescente de um mercado de treinadores de alto desempenho, no qual veio a culminar no modelo EMB-312H ou Tucano H, denominado assim por poder operar a baixa altura, caçando helicópteros.

Governo brasileiro, foi identificando a necessidade de uma aeronave de ataque, que iria compor o segmento aéreo, responsável pela interceptação de aeronaves ilícitas na região Amazônica e pelo patrulhamento de fronteiras.

Pelas características da região Amazônica, com alta incidência de chuvas, altas temperaturas e umidade elevada e de ameaça (baixa intensidade), foi definido pela Força Aérea Brasileira que a aeronave deveria ser um turboélice, de ataque, com grande autonomia e raio de ação, capaz de operar tanto de dia como a noite, em qualquer condição meteorológica, a partir de pistas curtas e desprovidas de infraestrutura, entre outras.

AFA - Pirassununga/SP

Não se pode falar do Super Tucano, sem  deixar mencionar a mundialmente famosa, "Esquadrilha da Fumaça", hoje, com a pintura tendo os tradicionais verde, azul e amarelo, cores ícones do Brasil. O A-29 Super Tucano, tem um design gráfico que permite uma visualização melhor tanto em terra como no ar.



A bandeira do Brasil foi pintada no leme do A-29 como se estivesse esvoaçando. Outra novidade é que a numeração, que identifica o piloto na esquadrilha, agora fica na lateral da fuselagem e não mais na cauda.

Fontes: http://www.defesaaereanaval.com.br/ pt.wikipedia.org    
Fotos: www.google.com.br Vídeo: www.youtube.com

domingo, 11 de outubro de 2015

Lockheed SR-71 Blackbird





                              

                                                     SR-71 Blackbird








A Lockheed SR-71 "Blackbird" é um um avião de longo alcance, o Mach 3, de reconhecimento estratégico avançado que ficou em serviço com a Força Aérea dos Estados Unidos de 1964 a 1998.

Blackbird - brinquedo

O SR-71 foi projetado para o vôo em mais de Mach 3, com uma tripulação de dois em cockpits em tandem, com o piloto no cockpit da frente e o Reconnaissance Diretor de Sistemas (RSO) monitorar os sistemas de vigilância e equipamentos de cabina do piloto traseiro.

O SR-71 foi projetado para minimizar a sua secção transversal de radares, foi a tentativa inicial de projeto e seu acabamento foi feito em um azul escuro, quase preto, para aumentar a emissão de calor interno e para agir como camuflagem contra o céu noturno. A cor escura levou a sinal de chamada da aeronave "Blackbird".



Sua fuselagem foi feita com ligas de titânio para suportar as altas temperaturas em torno de 200 a 300 graus celsius, causadas pelo atrito com o ar em virtude da alta velocidade alcançada.

Na altitude operacional, o SR-71 conseguia fazer a vigilância de uma superfície de 12.000 km² por hora, o que lhe permitia operar no Vietnã do Norte, na China, na União Soviética, em Cuba ou na Coreia do Norte sem entrar no espaço aéreo respectivo.

Durante missões de reconhecimento o SR-71 era operado em altas velocidades e altitudes. Se era detectado um lançamento do míssil terra-ar, a ação evasivo padrão era simplesmente acelerar e correr mais que o míssil.



Enquanto o SR-71 realizada contramedidas de radar para iludir os esforços de intercepção, sua maior proteção era sua alta velocidade e altitude de cruzeiro que tornava quase invulnerável às armas de seus inimigos. Simplesmente acelerando normalmente seria suficiente para escapar de um míssil terra-ar. Em velocidades sustentadas de Mach 3.2+, o avião foi mais rápido do que o interceptor da União Soviética, o Mikoyan-Gurevich MiG-25.  Durante sua vida útil, não SR-71 foi derrubado.



Fontes: www.milto.net/ pt.wikipedia.org   Fotos: www.google.com.br  Vídeo: www.youtube.com

domingo, 4 de outubro de 2015

Lockheed C-130 Hercules





                                                    C-130 Hercules









O Lockheed C-130 Hercules é um avião com quatro turbopropulsores cuja função principal é a de transporte aéreo em várias forças armadas em todo o mundo. Capaz de aterrar ou descolar em pistas pequenas ou improvisadas, foi concebido com o intuito de transporte de tropas e carga. Atualmente desempenha uma larga gama de papeis, incluindo transporte de pára-quedistas, reconhecimento climatérico, reabastecimento aéreo, combate aéreo a incêndios e evacuação médica. Existem mais de 40 modelos do Hercules utilizados em mais de 50 nações. Com mais de 50 anos de serviço, a família C-130 estabeleceu um sólido recorde de confiabilidade e durabilidade, participando em missões militares, civis e de ajuda humanitária.

Cockpit C 130


segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Avião Wega 180




                                        WEGA 180 aircraft










A Wega é a primeira fabricante de aeronaves instalada em Santa Catarina e o embrião de um pólo aeronáutico que está surgindo com o apoio do Sistema FIESC e do governo do Estado. Outra indústria, a Novaer Craft projeta instalar uma fábrica em Lages e um centro de engenharia na Grande Florianópolis.



Jocelito Carlos Wildner, conquistou o devido reconhecimento por anos de dedicação e investimento em um sonho. A sua maior criação, o Wega 180, um avião de primeira linha da empresa de aviação experimental Wega Aircraft, foi destaque na maior feira de aviação dos Estados Unidos, a Sun n'Fun.

O criador e sua criação

" Joselito só queria fazer um avião que fosse uma estrela. Vega é a estrela mais brilhante da constelação de Lira e uma das mais brilhantes do céu. Trocou o V pelo W para fazer uma homenagem a sua família: Wildner ."




O objetivo da Wega é fabricar kits de aeronaves leves usando técnicas e componentes de última geração, preenchendo assim uma lacuna no mercado brasileiro.



O Wega 180 aeronave asa baixa; cabine para no máximo dois ocupantes lado a lado; construção em composite; motor aeronáutico de 180hp; hélice de velocidade constante; trem de pouso retrátil; velocidade de 300 km/h; sistema de combustível com dois tanques de 110 litros; autonomia máxima de 6 horas e meia de voo; envergadura de 7,87m; comprimento da fuselagem de 6,474m; altura máxima de 2,299m; peso vazio de 450kg; carga útil de 300kg; peso máximo de decolagem de 750 kg.

Fontes: www2.fiescnet.com.br/ http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/
Fotos:  https://www.google.com.br/  Vídeo: https: www.youtube.com



domingo, 20 de setembro de 2015

Bell/Boeing V-22 Osprey





                               Bell-Boeing V-22 Osprey










O Departamento de Defesa dos Estados Unidos iniciou o projeto V-22 em 1981 liderada pelo exército e mais tarde pela Marinha, que desenvolveu o sistema de decolagem vertical. O desenvolvimento em grande escala da V-22 começou em 1986. O V-22 é construído conjuntamente pela Bell Helicopter Textron e Boeing Helicopters.



Bell/Boeing V-22 Osprey, a primeira aeronave projetada para atender as necessidades das quatro forças armadas dos Estados Unidos. Numa parceria entre a Bell Helicopter Textron e a Boeing Helicopters, foi desenvolvido um novo revolucionário tiltrotor, uma aeronave capaz de decolar e pousar verticalmente e voar como um avião.


É classificada como uma aeronave elevador motorizado pela Administração Federal de Aviação . Para decolar e terra normalmente funciona como um helicóptero com gôndolas verticais e, portanto, da hélice do rotor vertical. 

Uma vez no ar, as naceles girar para a frente 90 graus em apenas 12 segundos para o voo horizontal, convertendo o V-22 em algo como um turboélice para maior velocidade e menor consumo de combustível. 
Uma das principais desvantagens é que ele não pode executar uma auto-rotação (aterragem de emergência) porque não utiliza hélices e rotores , como um helicóptero, de modo estático e voo abaixo 490 metros de altura, a perda dos dois motores podem provocar um acidente sem sobrevivência. Mas quando voando mais alto e / ou mais rápido, se possível um pouso de emergência como um avião aproveitando o apoio de suas asas.

A Boeing é responsável pela fuselagem, trem de pouso, aviônicos, sistemas elétricos e hidráulicos, e as qualidades de voo e de desempenho. A Bell Helicopter Textron é responsável pela asa e nacele dos motores, propulsão,rotores, empenagem (sistema compelto da cauda), rampa de acesso traseiro, e aerodinâmica.

Fontes: http://www.cavok.com.br/ es.wikipedia.org/wiki/Bell-Boeing_V-22_Osprey
Fotos: www.google.com.br     Vídeo: www.youtube.com